quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A MULHER E O DRAGÃO




O SONHO DE LÚCIFER- O GOVERNO MUNDIAL  

                                                                                                               









APOCALIPSE 12 









E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça.


E estando grávida, gritava com as dores do parto, sofrendo tormentos para dar à luz.


Viu-se também outro sinal no céu: eis um grande dragão vermelho que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas;


a sua cauda levava após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que estava para dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe devorasse o filho.


E deu à luz um filho, um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.


E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.






Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam,


mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou no céu.






E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele.


Então, ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e o poder, e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo; porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite.


E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte.


Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Mas ai da terra e do mar! porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta.


Quando o dragão se viu precipitado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão.




E foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente.



E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para fazer que ela fosse arrebatada pela corrente.



A terra, porém acudiu à mulher; e a terra abriu a boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca.


E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus.


E o dragão parou sobre a areia do mar. 


Apocalipse 12:1-18



O Capítulo 12 de Apocalipse relata a história do pecado desde  seu início com  Satanás.  Vamos então recapitular esta história.

Imagine  o mundo  antes do dilúvio. Imagine homens perfeitos inteligentes numa terra que,  apesar do pecado,  havia recentemente saído das mãos do criador. A bíblia é muito resumida  quando o assunto é este. Os três primeiros capítulos fala de Adão e o pecado original.  Do quarto até ao sexto assistimos a corrupção da raça humana  e o  dilúvio.  Desse modo,  3 capítulos somente relatam sobre tudo o que aconteceu  em  quase dois mil anos!

COMO TUDO COMEÇOU

Tudo o que Satanás  queria e quer desde o princípio é reinar. Ele tentou usurpar o trono de Deus no céu,   perdeu a batalha,  veio para a terra,  e assim que conquistou  o planeta,  ao fazer o homem pecar,  voltou-se para  destruir qualquer possibilidade de   resgate  deste planeta,  plano este, que ouvira  da própria boca de Deus. Um descendente viria,  ele  mataria a serpente no final.

Um descendente teria que vir de uma mulher,  teria que nascer,  ora,   se não  houvesse ninguém disponível a   ser mãe deste resgatador  esta possibilidade teria sido destruída.   Os homens viviam muito tempo,  eram inteligentes e fortes,  Satanás tinha em seu poder uma espécie que podia se reproduzir,  qual o problema se morressem um dia? Seus filhos e netos os substituiriam. Ele  reinaria para sempre. 

Antes do dilúvio,  Satanás conseguiu ter um governo único pois  a terra tinha uma só linguagem,  um só governo.  A bíblia somente diz que os homens eram maus e TODO pensamento, todo designio  de seu coração era mau. Pode imaginar isso? A bíblia nos conta que os filhos dos homens  casaram com as filhas de Deus.  Nós não sabemos quem seriam esses filhos dos homens,  mas vamos  crer conforme EGW diz,  que sejam eles  os  descendentes de Caim que  misturaram-se  com as filhas  de sete e de todos os que queriam seguir a Deus.  Pode ser que os pais não dessem suas filhas  de livre  e expontânea vontade,   podem ter sido raptadas,  forçadas,  mas o que importa e que elas  perdiam sua fé,  e seus filhos eram criados por homens maus .

Essa mistura fez com que nascessem homens fortes e belos,  gigantes na terra.  Como viviam muito seu conhecimento era passado de geração em geração. Assim vivendo 930 anos  Adão certamente conheceu o bisavô de Noé.  Certamente que o  avô de Noé ou mesmo seu pai,  tivesse sido contemporâneo de Sete.

O conhecimento  era passado em primeira mão e era cumulativo. Já pensou se Einstein  ou Leonardo da Vinci fossem vivos hoje.Ou Louis Pasteur e outros tantos homens de ciência que  criaram modernidades e descobriram coisas que hoje são usadas em outros ramos da ciência.

Agora imagine esse conhecimento cumulativo,  num só país de homens maus organizados em sociedade  com um único objetivo: acabar com os homens que servissem a Deus. Com certeza não haveria nenhuma “Maria” para ser mãe do prometido quando chegasse o tempo.
 Uma só linguagem,  um só governo. Um governo mundial. Deus afogou esse sonho de Satanás no dilúvio,  mas cerca de 300 anos  depois ele já está de novo com um governo mundial delineado na figura de Ninrode um grande caçador, que reinou  desde Babel e cujo nome encontramos   até   nos achados arqueológicos  da Índia. Este homem resolveu fazer uma torre que chegasse até o céu. Desobedientes  não queriam se  espalhar  a terra,  duvidavam da possibilidade de não  haver mais dilúvio. Era melhor fazerem um local seguro e bem alto,   para que da próxima vez que Deus se zangasse  pudessem escapar.

Ali Deus  pois um basta no Governo Mundial de Satanás.  Espalhou os homens,   confundiu sua linguagem,  deu a Satanás muitas nações más, desunidas.

Desde então Satanás tenta  fazer um governo mundial,  mas para isso tem usado a força de uma nação contra a outra.. Esta é a história do capítulo 12. A história do Grande Conflito e das tentativas de Satanás,  o dragão de implantar este reino.

A MULHER COMO A IGREJA.

Todo tempo do velho testamento a mulher está grávida. Ela está grávida pois a promessa de um herdeiro que viria se cumpriria no futuro. Veste-se do sol da justiça que é Jesus,  tem a lua  debaixo dos pés,  a lua reflete a luz do Sol,  assim como a igreja reflete a luz de Jesus, As estrelas,  doze ao todo,  são os apóstolos  no novo testamento e são os filhos de Israel, as doze tribos,  no velho testamento.  A mulher representa a igreja de Deus  desde o princípio deste mundo.

O Dragão é Satanás. Ele não pode ser a igreja católica porque durante o período da gravidez da mulher, ele  já existe,  e além disso o próprio capítulo diz que ele ,  o Dragão,  se chama Diabo e Satanás. Ele se coloca  em frente a mulher pois não quer que o filho dela nasça e  venha a reinar.

As cabeças  são os vários reinos,  desde o dilúvio, Satanás usou nações na tentativa de dominando outras nações menores pudesse novamente formar um reino mundial. O Chifres foram os reis que foram usados por Satanás para conseguir o seu objetivo.

EGITO - A PRIMEIRA CABEÇA E O PRIMEIRO CHIFRE


 A primeira nação foi o  Egito,  veja um mapa  a expansão territorial Egipcia.
Na pessoa do Faraó que mandou  matar todos os filhos ( sexo masculino)  dos escravos  dos hebreus,  podemos perceber a tentativa de Satanás de destruir a possibilidade do nascimento do Messias. Sim porque se o povo de Israel, de  onde viria o escolhido,  tivessem todos os seus meninos mortos,  as mulheres hebreias casariam com homens de outras nações e a linhagem  do messias estaria destruída.

ASSIRIA- A SEGUNDA CABEÇA E O SEGUNDO CHIFRE

A segunda tentativa de  um reino mundial foi através do império Assirio. Era a segunda cabeça. Na pessoa do rei Sargão II, e seu general Senaqueribe,  que após levar cativa as 10 tribos de Israel, e os espalhado e misturado com outras nações,  intentou fazer o mesmo com o povo de Judá. Deus o impediu. Se tivessem conseguido  haveria uma mistura do povo de Israel e a linhagem do Messias estaria perdida.


BABILÔNIA- A TERCEIRA CABEÇA E O TERCEIRO CHIFRE
A terceira cabeça  foi com certeza foi Babilônia. Nabucodonozor seu rei  levou cativo os  filhos de Judá  e muitos deles se aculturaram  e não mais deixaram a  Babilônia. Totalmente compreensível a reação  destes se pensarmos que é difícil sair de um local civilizado,  uma grande cidade,  para morar em lugares afastados e sem muitos recursos,  neste caso a Judéia.  Reconstruir Jerusalém não deve ter sido uma tarefa fácil.  Nabucodonosor foi o terceiro chifre.  Já notaram quantas vezes esse rei foi advertido pelo céu e mesmo assim foi  rebelde?


MEDO-PERSA- A QUARTA CABEÇA E O QUARTO CHIFRE
O império Medo-Persa, formaram a quarta  cabeça,   no início   os reis foram favoráveis ao povo de Israel,  o chifre perseguidor surgiu  no entanto,  quando  Hamã , o conselheiro do rei Assuero  governava,  ele que odiava o povo hebreu,  intentou destruí-los.  Foi a Rainha Hebréia Ester que salvou o povo.


GRÉCIA -  QUINTA CABEÇA E O QUINTO CHIFRE
A Grécia foi a quinta cabeça. E podemos considerar Antioco Epinanes a Chifre perseguidor. Ele proibiu a guarda do sabado,  a circuncisão e profanou o templo.  Até seu reinado os judeus   possuiam liberdade religiosa,  com o fim desta liberdade houve a revolta dos macabeus e muitos pereceram nela.


ROMA- A SEXTA CABEÇA E O SEXTO CHIFRE
Roma que reinava com cetro de ferro também perseguiu o povo de Deus. O Dragão usou o império  Romano para perseguir  os Cristãos. Lembre-se que o povo de Deus foi o povo de Israel até a vinda de Jesus,  depois disto são os Cristãos o povo de Deus, todo aquele que aceita a Jesus como filho de Deus.  A maior perseguição  foi pelo imperador Diocleciano,  citada na igreja de Esmirna como 10 anos de perseguição.Esta é a sexta cabeça e seu chifre perseguidor.

Como  vêem,  o Dragão,  Satanás,  usa de todosos modos para perseguir  o povo de Deus.  Suas cabeças são os reinos mundiais que  tentou implantar. Seus designios foram frustrados, Deus  no livro de Daniel adverte que não haveria outro reino após o Roma. Satanás no entanto tenta estabelecer um outro tipo de reino.Ele quer novamente um reino mundial assim através do domínio da religião ele consegue por 1260 anos  dominar os povos  da Europa.


ROMA PAPAL - A SÉTIMA CABEÇA 
Com a igreja católica,  um reino sem fronteiras de paises,  ele perseguiu a igreja de Deus de maneira  terrível. Podemos enumerar os quatro  chifres finais,  e as  maiores perseguições da igreja conta o povo de Deus.





A  OITAVO CHIFRE





O poder perseguidor sobre os Valdenses  e Albigenses






 Mas dentre os que resistiram ao cerco cada vez mais apertado do poder papal, os valdensesocuparam posição preeminente. A falsidade e corrupção papal encontraram a mais decidida resistência na própria terra em que o papa fixara a sede. Durante séculos as igrejas do Piemonte mantiveram-se independentes; mas afinal chegou o tempo em que Roma insistiu em submetê-las. Depois de lutas inúteis contra a tirania, os dirigentes destas igrejas reconheceram relutantemente a supremacia do poder a que o mundo todo parecia render homenagem. Alguns houve, entretanto, que se recusaram a ceder à autoridade do papa ou do prelado. Estavam decididos a manter sua fidelidade a Deus, e preservar a pureza e simplicidade de fé. Houve separação. Os que se apegaram à antiga fé, retiraram-se; alguns, abandonando os Alpes nativos, alçaram a bandeira da verdade em terras estrangeiras; outros se retraíram para os vales afastados e fortalezas das montanhas, e ali preservaram a liberdade de culto a Deus.  EGW GC pag 64 

As perseguições desencadeadas durante muitos séculos sobre este povo temente a Deus, foram por ele suportadas com uma paciência e constância que honravam seu Redentor. Apesar das cruzadas contra eles e da desumana carnificina a que foram sujeitos, continuavam a mandar seus missionários a espalhar a preciosa verdade. Eram perseguidos até à morte; contudo, seu sangue regava a semente lançada, e esta não deixou de produzir fruto. Assim os valdenses testemunharam de Deus, séculos antes do nascimento de Lutero. Dispersos em muitos países, plantaram a semente da Reforma que se iniciou no tempo de Wycliffe, cresceu larga e profundamente nos dias de Lutero, e deve ser levada avante até ao final do tempo por aqueles que também estão dispostos a sofrer todas as coisas pela "Palavra de Deus, e pelo testemunho de Jesus Cristo". Apoc. 1:9. egw gc 75

O NONO  CHIFRE

                                       Rei Fernão de Aragão e Isabel de Castela
O poder perseguidor Jesuita,  os tribunais de Santa Inquisição. Vejamos o que diza Wikipedia sobre o assunto:

 A ideia da criação da Inquisição surgiu em 1183, quando delegados enviados pelo Papa averiguaram a crença dos cátaros de Albi, sul de França, também conhecidos como "albigenses".

Inquisição espanhola é, entre as demais inquisições, a mais famosa porque mais marcante na lembrança. David Landes, por exemplo, relata-nos: "A perseguição levou a uma interminável caça à bruxa, completa com denunciantes pagos, vizinhos bisbilhoteiros e uma racista "limpieza de sangre". Judeus conversos eram apanhados por intrigas e vestígios de prática mosaica: recusa de porco, toalhas lavadas à sexta-feira, uma prece escutada à soslaia, freqüência irregular à igreja, uma palavra mal ponderada. A higiene em si era uma causa de suspeita e tomar banho era visto como uma prova de apostasia para marranos e muçulmanos. A frase "o acusado era conhecido por tomar banho" é uma frase comum nos registros da Inquisição. Sujidade herdada: as pessoas limpas não têm de se lavar. Em tudo isto, os espanhóis e portugueses rebaixaram-se. A intolerância pode prejudicar o perseguidor (ainda) mais do que a vítima.
Foi apoiadaa pelo Rei Fernão de Aragão e Isabel de Castella, este foi o  último reduto da inquisição na Europa. Milhares de protestantes e judeus ( Cristãos novos),  morreram. 




Não temos intensão de dogmatizar,  apenas exemplificamos o que podem ter sido os chifres,  já que a cabeça são os reinos que os sustentam, assim,  os poderes perseguidores  destes reinos  são  aqui colocados como os chifres.  Elegi as três grandes tragédias na perseguição Cristã,  fique à vontade em discordar e colocar outras perseguições como maiores do que esta.

 O DECIMO CHIFRE

A nova ordem Mundial e o poder Opressor do Anticristo no Armagedom.



Segundo entendo haverá a última tentativa de Satanás para governar este mundo,  a última obra será feita quando for colocado o Reino Mundial outra vez. Será o Armagedom,  a última grande Guerra,  A batalha Final. 

Sobre isso iremos falar mais especificamente em outro capítulo. Deveremos entender antes as forças coligadas no final e a Nova Ordem Mundial. 












3 comentários:

IVAN LESSA disse...

Palmira, fiquei admirado com o seu trabalho. Parabéns!
Com relação às 7 cabeças e os dez chifres de apo 13 e 17, a própria Bíblia explica:
1º João vivia no tempo de Roma, logo, o princípio profético é mostrar coisas futuras. Egito, Babilônia, etc, já eram história - não poderiam ser profecia.
2º O cap. 13, segundo EGW, apresenta coisas num tempo adiante dela.
3º Nesse tempo os USA seria a grande potencia, existindo na presença do Vaticano recuperado da ferida mortal.
4º Os fatos ocorrem do tempo do juízo, pois o assunto culmina com selamento.
5º Apo 17 esclarece Apo 13 - o anjo explica:
a) O endereço da besta - as sete cabeças são os sete montes onde a mulher [igreja] está assentada.
b) O nome da igreja - são sete reis, com nomes de blasfêmeas em suas cabeças. Só podem ser papas.
c) O tempo da visão - 5 já passaram, um existe [João Paulo II, o 6º papa, numa contagem a partir de 1929].
A mulher levada pela besta confirma que a besta do mar é uma igreja, apoiada por nações, os 10 chifres.
O anjo disse: os 10 chifres são 10 reis que ainda não receberam seus reinos. Preste atenção; na época de João Paulo II estes 10 reis ainda não existiam, nem os seus reinos. Provavelmente, a profecia aponta para mais adiante, quando irá se formar um G10, com o estabelecimento da nova ordem mundial. Aí esses reis irão receber poder, como se fossem reis - percebeu? - e se unirão a essa besta que irá para a perdição.
Um abraço.
Dr. Ivan Lessa.

PALMIRA CHAGAS disse...

Dr Ivan Lessa
Não tenho dúvidas sobre o papel importante que desempenhou e desempenhará a figura de João Paulo II. Apesar de não acreditar no seu reaparecimento ( ressureição ou qualquer outra coisa do gênero) suas obras, seus apelos serão ponto determinante que irá transformar a ICAR neste século XXI.
Agradeço o comentário, envie material para mim pois sempre estarei feliz por atualizar-me sobre esse assunto tão importante para nossos dias. Utilize este email.
palmiranchagas@hotmail.com

Anônimo disse...

No começo o texto estava até interessante, até mesmo valendo a leitura pelo esforço do escritor, mas depois perdeu-se pelo caminho, parece até novela que perdeu a audiência. Então a Besta se disfarça de Serva(a Igreja) para embora fazendo o bem(toda e qualquer igreja, de qualquer denominação o faz) e utilizando o nome de Deus e seus ensinamentos(Evangelho) iludir a toda a humanidade e embora pregando a Palavra, conduzir todos a perdição ? Meus irmãos, nos preocupemos mais em viver o Evangelho do que em Advinhar o que não está escrito. Imagino que pelo conhecimento aqui demonstrado, não seja necessário citar as passagens que se referem a este assunto.